Cultivando com os filhos bons hábitos alimentares

alimentacao infantil

Fui acostumada desde criança por meus pais a não adoçar alimentos. Minha mãe tinha medo da genética, já que temos casos de diabetes dos dois lados da família. Até hoje tomo sucos, chá e café “in natura”.

Não tenho lembrança de sobremesas doces em minha casa e sim de me oferecerem frutas após o almoço. Não tinha o habito de tomar refrigerantes, e até hoje não tomo.

Sempre tive uma grande preocupação em passar ótimos exemplos para as meninas em tudo, inclusive bons hábitos alimentares. Acredito que a influência dos pais e os bons costumes podem sim ajudar muito em um futuro com mais saúde e prevenção de doenças.

Na minha opinião, nós somos sim, totalmente responsáveis pela saúde de nossos filhos.

Crianças não podem ser responsabilizadas por seus maus hábitos alimentares.

Minhas filhas são normais e adoram “porcarias” como qualquer criança. Quase todos os dias preciso insistir e explicar a necessidade das verduras e frutas para que elas possam comer. Mas não desisto!

Sou a favor de não proibir fora, mas não cultivar maus hábitos em casa.

Se estivermos em uma festa e elas quiserem tomar refrigerante, tudo bem, mas não vão achar na nossa geladeira. Também não compro bolachas recheadas, e coisas do tipo.

A vontade de comer doces passa muitas vezes com um pequeno pedaço de chocolate meio amargo, que elas adoram.

Andei pesquisando mais sobre o assunto depois de ver em rodas amigos opiniões diversas sobre o tema, e achei interessante ilustrar com o trecho a seguir retirado da Revista Crescer:

“A obesidade infantil não para de aumentar. Segundo a Organização Mundial da Saúde, há 41 milhões de crianças obesas com até 5 anos em todo o mundo.
Um estudo recente feita pelas empresas Albar Research e FocusVision entrevistou 900 pais e mães de crianças (entre 18 meses e 12 anos) do Brasil, México e Colômbia.

Os pesquisadores chegaram à conclusão de que há uma grande lacuna entre a dieta ideal e a vida real. Os principais motivos para isso são a falta de informação dos adultos e os maus hábitos da família. Além disso, pais que trabalham em tempo em integral – e são muitos atualmente! – têm menos tempo para supervisionar a alimentação e preparar refeições balanceadas.

A seguir, veja alguns dados alarmantes do estudo:

*80% dos pais e mães acham que o filho tem uma alimentação saudável, porém, apenas 50% buscam orientação médica sobre o assunto.

*Só 8% dos pais se consideram bem informados a respeito da alimentação saudável dos filhos.

*6% das crianças de 18 meses a 2 anos tomam refrigerante diariamente.

*Apenas 17% das crianças de 18 meses a 2 anos consomem frutas diariamente.

*20% das crianças de 11 a 12 anos tomam refrigerante todos os dias no lanche da manhã.

*57% das crianças de 18 meses a 2 anos comem alimentos açucarados no lanche da tarde.

O que fazer?

Confira algumas dicas para melhorar a alimentação das crianças:

*Compre alimentos saudáveis – as crianças comem o que está ao alcance delas. Se você levar para casa salgadinhos, bolachas recheadas e outras guloseimas, é isso que elas irão comer. (fui criada desta forma por meus pais e agradeço muito por isso, repito a lição em casa).

*Dê preferência a produtos in natura como frutas, legumes e verduras.

*Fique atento à publicidade dos alimentos industrializados, especialmente aqueles voltados para crianças. Muitas vezes, a propaganda passa a impressão de que o alimento é saudável quando, na realidade, não  é.

*Procure informação de qualidade sobre nutrição. Pergunte ao pediatra ou nutricionista da criança em caso de dúvidas.

*Mude hábitos pouco saudáveis. Evite consumir fast food, frituras, refrigerantes, sucos industrializados e doces.

*Brinque com a criança e promova momentos diários de atividades físicas.

Sei que cada família tem seu caminho e cada um de nós esta sempre buscando acertos, não temos nenhuma garantia de sucesso no futuro, mas vale a pena refletir sobre o assunto, abraço e até um próximo post!

Anúncios

  2 comments for “Cultivando com os filhos bons hábitos alimentares

  1. 21 de janeiro de 2018 às 12:17

    Fantástico, Carol! Na rua não temos tanto controle sobre o que eles comem, exceto, a segurança do hábito familiar. Ensina a criança no caminho em que deve andar e ela não se desviará dele quando crescer. Fazemos a nossa parte 😉

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: