Prevenindo a obesidade infantil; por Dra. Stephania Medina de Andrade Sócio

 

O peso das crianças é uma preocupação constante das famílias e dos pediatras.

Até alguns anos atrás, a maior preocupação era com a desnutrição. Atualmente, a obesidade é considerada uma doença crônica e epidêmica e estudos apontam que a incidência cresceu 60 % em 10 anos.

A obesidade é uma doença que acomete diversos sistemas do corpo e tem relação com doenças como diabetes, hipertensão, doenças articulares e cardiovasculares, câncer entre outras. Estudos apontam que a maioria dos adolescentes obesos serão adultos obesos.

Diante disso, a vigilância e a mudança de hábitos são fundamentais para mudarmos o curso das estatísticas para que nossas crianças sejam adultos saudáveis e com longevidade.

A grande mudança nos hábitos vem com boas escolhas e escolhas conscientes quanto ao que consumimos. A vida atribulada, a grande oferta de alimentos “práticos” nas prateleiras dos supermercados, as porções gigantescas dos fast food podem ser consideradas combinações explosivas.

Para ajudar nessas escolhas vou primeiro esclarecer uma dúvida muito frequente. Você já ouviu várias vezes esse termo ultraprocessado, mas você o reconhece no supermercado?

Então vou te dar uns exemplos e você vai exercitar na próxima ida às compras. Primeiro identificamos os alimentos in natura, que é todo aquele alimento que não sofreu qualquer mudança, pode ser encontrado na natureza (abacaxi). O alimento minimamente processado é aquele que sofreu pouca alteração até sua aquisição foi cortado, descascado, moído, etc (abacaxi descascado e embalado). O alimento processado é aquele que sofreu adição de sal e açúcar no processo (abacaxi em caldas). O alimento ultraprocessado é aquele cuja fabricação envolve diversas etapas e técnicas de processamento e vários ingredientes, muitos deles de uso exclusivamente industrial (suco de abacaxi em pó).

Algumas sugestões:

  • Os alimentos açucarados como os refrigerantes e os sucos de caixinha são uma cilada. Evite sempre que puder pois têm muito açúcar e conservantes. Opção: água, chá, sucos feitos com frutas (ex: morango, abacaxi, manga podem ser guardas congeladas e batidos na hora), água de coco (do próprio coco).
  • Os ultraprocessados são aqueles vilões capazes de nos enganar e nos fazer acreditar que estamos comendo bem. Evite !!! Com um pouco de organização podemos ter alimentos de ótima qualidade frescos na nossa mesa. As técnicas de congelamento são aliados nessa hora. Seguindo a máxima de quem guarda tem, a cada preparo podemos deixar porções congeladas para outro dia, legumes e verduras já cozidos e cortadinhos separados em saquinhos. Tudo congelado e em 10 minutos uma refeição fresquinha estará na sua mesa.
  • Informação: a leitura de rótulos nos permite identificar ingredientes que mais parecem retirados de uma aula de química do que da feira. Evite !!!
  • Divisão de tarefas: a divisão de tarefas faz com que todos da casa participem dos processos. As crianças podem colocar a mesa, lavas uns legumes e verduras. O maridão pode lavar a louça, enfim, moderno é isso, né?!
  • Vigilância : a vigilância do peso é feita com as consultas com seu pediatra e sempre lembrar que ele deve marcar nos gráficos de crescimento, altura e IMC (índice de massa corporal). Esses gráficos estão na caderneta de vacinação da criança e também pode ser encontrado no site da Organização mundial de saúde (OMS). O seu pediatra é capaz de identificar alterações no padrão de ganho de peso e crescimento e dar as orientações necessárias.
  • Atividade física: as crianças precisam se mexer. Correr, nadar, andar de bicicleta, sair das telas. O tempo preconizado pelas sociedades de pediatria é o máximo de 2 horas de tempo de tela por dia. A atividade física ajuda as crianças a terem menos ansiedade, fortalecerem, melhorar coordenação e gastar energia.

A mudança vem com um olhar para traz, isso, olhar para os nossos avós e voltarmos para a cozinha, para o prazer de sentarmos à mesa em família, sem celulares ou televisões.

Simplesmente conversar e curtir aquele momento. As crianças curtem muito essas experiências culinárias.

 

Dra. Stephania Medina de Andrade Sócio . Mãe de duas crianças gulosas, muito ativas e curiosas, com quem aprende todos os dias. Médica formada pela UFRJ, pediatra especialista em gastroenterologia pediátrica pela Unicamp e mestre pela UFMG.

 

Anúncios

Autor: mamaeraiz

41 anos. Casada. Mãe de duas meninas. Formada em Zootecnia, já fui Pesquisadora, Secretária Executiva, Escritora, Proprietária de Franquia, Artesã e hoje Mãe e Dona de Casa. Adoro viajar em família, cozinhar e praticar CrossFit. Tento levar minha vida de forma leve, cada dia aprendendo mais e vendo o lado positivo da maternidade. Tentando descobrir novos caminhos e possibilidades, que a vida de uma mulher que resolveu abrir mão de trabalhar fora e abraçar integralmente sua família, pode trazer!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s