O que podemos fazer para nossos filhos terem hábitos alimentares saudáveis?

Desde que Luana, hoje com 11 anos, começou a comer sozinha escuto quase que diariamente a pergunta: “Mamãe, posso ficar só hoje sem comer salada?” minha resposta é sempre a mesma, “NÃO!”

Já fui taxada de radical, e outras palavras mais, por causa de minha postura alimentar com as meninas. Não me importo! Quero ter a certeza que o trabalho de base foi feito e se um dia decidirem, ao sair de casa, não se alimentar mais assim, vou lamentar, mas minha consciência vai estar tranquila.

Muitas vezes a alimentação saudável pode parecer difícil de ser seguida, mas na verdade é bem simples: precisamos daqueles nutrientes dos alimentos que a natureza nos oferece, ou seja, quanto mais natural e  integral for o alimento que você coloca na mesa de sua casa, mais fácil será conseguir os nutrientes que seus filhos precisam para serem saudáveis.

Lógico, que na prática  sabemos que muitas vezes as coisas não vão funcionar desta forma. Nossos filhos nem sempre comem o que oferecemos. E quando estiverem maiores farão as próprias escolhas. Como podemos então ajudá-los a crescer, alimentando bem e   que possam continuar fazendo escolhas saudáveis quando estiverem fora de nossa casa?

De acordo com especialistas os alimentos que oferecemos aos nossos bebês em crescimento podem ajudar a moldar seus padrões alimentares à medida que crescem.

Se oferecemos apenas coisas doces como bananas, batata-doce, maçã provavelmente irão preferir um paladar mais doce. Tente começar com algo como espinafre e brócolis antes de apresentar o doce. Troque uma idéia com o pediatra.

À medida que seu filho cresce, tente continuar oferecendo mais vegetais do que frutas e doces. O paladar de cada criança é diferente, então será mais fácil para alguns do que para outros, mas vale a pena o esforço.

Minhas filhas demonstram interesse em cozinhar sempre que as convido. Muitas vezes, quando resolvo fazer alguma receita nova, com legumes e ingredientes integrais, sei que a chance das meninas experimenta-la é pequena e uma boa estratégia é pedir uma ajuda para cozinhar, sendo assim elas mostram bem menos resistência, e muitas vezes comem com gosto, sabendo que ajudaram a fazer aquele prato!

Falo abertamente com as meninas sobre como certos alimentos podem realmente fazer mal à saúde. Na maior parte das vezes esses alimentos são açucarados, com farinha refinada ou alimentos muito industrializados.

O vício em açúcar é uma coisa real, muito perigosa e não é algo que queremos para nossos filhos. Sabemos que o mecanismo de ação do açúcar no cérebro é bem semelhante ao das drogas, além de causar a obesidade e diabetes tipo 2 mais tarde na vida.

Na prática as coisas aqui em casa funcionam mais ou menos assim, não compro, não ofereço, mas permito de vez em quando fora de casa: refrigerantes, bolachas recheadas, doces, etc…

Sempre tenho à vontade na cozinha: frutas, legumes, iogurte, castanhas, leite, cereais integrais.

Como adoro cozinhar, estou sempre buscando receitas novas com ingredientes frescos e nutritivos.

Conseguir que nossos filhos comam de maneira saudável pode, às vezes, ser uma luta, mas é uma luta de amor e que podemos sair vitoriosas com o tempo. Mesmo que pareça que nada está funcionando, nossos filhos absorvem mais do que podemos imaginar. ]

Na minha casa, quando criança, tive a sorte de ter pais que tiveram a preocupação com a alimentação de qualidade e hoje sigo este exemplo. Queremos que nossos filhos cresçam saudáveis, não queremos? de quebra nos mantemos saudáveis também! Vamos seguir firmes fazendo nosso melhor.

Anúncios

Algumas dicas para melhorar a imunidade de seus filhos

 

Inverno chegando e junto com ele toda variedade sem fim de germes e vírus  e a preocupação do que podemos fazer para proteger nossos filhos de tudo isso que estão expostos todos os dias.

Infelizmente, ficar doente quando somos crianças é impossível de evitar. “Todos nós entramos neste mundo com um sistema imunológico inexperiente”, diz Charles Shubin, MD, professor associado de pediatria da Universidade de Maryland, em Baltimore. Lentamente, as crianças preparam sua imunidade combatendo uma série contínua de germes, vírus e outros organismos  e é por isso que muitos pediatras consideram de seis a oito resfriados, surtos de gripe ou infecções de ouvido por ano, normais.

Mas existem hábitos saudáveis ​​que podemos adotar que poderão dar uma ajuda ao sistema imunológico dos nossos filhos. Então, aqui estão algumas dicas para ajudar o sistema imunológico das crianças, seguindo algumas dicas de estudo sobre o mesmo tema:

  • Aumente o tempo de sono.

Já foi comprovado que a privação de sono pode tornar as crianças mais suscetíveis a doenças, reduzindo suas células de defesa naturais, que ajudam o sistema imunológico a combater a infecção. A quantidade de sono que as crianças precisam depende muito da idade. Como regra geral, os recém-nascidos precisam de 18 horas por dia,  e crianças de três a doze anos, até 12 horas por dia.

  • Comida de Verdade.

Laranja, limão, brócolis, tomate, cenoura, couve, uva,abacate, morangos (só se forem orgânicos), maçã: Todos esses alimentos contem fitonutrientes como a vitamina C e carotenóides que podem aumentar a produção de glóbulos brancos que combatem a infecção e aumentam a imunidade.  Estudos mostram que uma dieta rica em fitonutrientes também pode proteger contra doenças crônicas como câncer e doenças cardíacas na vida adulta.

Tente fazer com que seu filho coma cinco porções de frutas e verduras por dia. Uma dieta saudável deve conter uma grande variedade de alimentos e não se concentrar em apenas um “superalimento mágico” . Portanto, certifique-se de oferecer aos seus filhos uma variedade de cereais integrais, carne, peixe, legumes, além das frutas e legumes mencionados acima.  Não há alimentos específicos que impeçam seus filhos de resfriados ou gripes, mas você deve garantir que a dieta de seu filho seja rica e saudável, o que é essencial para desenvolver um sistema imunológico forte.

  •  Amamentar seu bebê.

O leite materno contém anticorpos que aumentam a imunidade e células brancas do sangue. Estudos mostram que também pode aumentar o poder do cérebro do bebê e ajudar a protegê-lo contra o diabetes insulino-dependente, a doença de Crohn, a colite e certas formas de câncer. O colostro, é especialmente rico em anticorpos que combatem doenças.

  • Atividade Física

Pesquisas mostram que o exercício aumenta o número de células de defesa em adultos e a atividade regular pode beneficiar crianças da mesma maneira. Para que seus filhos tenham naturalmente o hábito de exercitar ao longo da vida, seja um bom modelo. “Exercite-se com eles em vez de apenas incentivá-los a sair e brincar”, diz Renee Stucky, Ph.D., professora assistente clínica de medicina física e reabilitação da Universidade de Missouri Medical School.  A prática regular de exercícios propicia também o desenvolvimento da musculatura e esqueleto da criança. Sem contar que ajudam a controlar o peso e a reduzir o colesterol. Mas é preciso que o seu filho sinta prazer na atividade escolhida, e que seja feita de forma moderada. O bom senso é sempre a melhor medida.

  • Não pressione seu pediatra.

Incentivar seu pediatra a prescrever um antibiótico sempre que seu filho tiver resfriado, gripe ou dor de garganta é uma má ideia. Estudos mostram, no entanto, que muitos pediatras prescrevem antibióticos de forma um tanto relutante ao pedido de pais que erroneamente acham que a criança não pode sentir dor. Na verdade, pode. Cepas de bactérias resistentes a antibióticos têm florescido como resultado, e uma simples infecção no ouvido é mais difícil de curar se for causada por bactérias teimosas que não respondem ao tratamento padrão. Sempre que o pediatra do seu filho quiser prescrever um antibiótico, certifique-se de que ele não o esteja prescrevendo apenas porque pensa que o quer.

  • Tome um pouco de sol.

A luz solar ativa a produção de vitamina D da pele. No verão, uma exposição de 10 a 15 minutos (sem protetor solar) é suficiente. Níveis baixos de vitamina D correlacionam-se com um risco maior de infecção respiratória. Um estudo de 2010 em crianças mostrou que 1.200 UI por dia de suplementação de vitamina D reduziu o risco de influenza A.

Procure sempre o conselho direto de seu próprio médico em relação a qualquer dúvida que você possa ter em relação à sua própria saúde ou à saúde de seus filhos.

Como montar uma lancheira equilibrada e saudável

 

Hábitos alimentares saudáveis são construídos, principalmente durante a infância.  O paladar da criança é formado até 2 anos de idade. Quanto mais as crianças adotarem hábitos saudáveis, mais positivo será o efeito na saúde delas, além de também influenciarem as crianças ao seu redor.

Na hora do recreio é necessário um lanchinho para repor as energias e voltar para a aula com muita disposição e o lanche pode ser saboroso e saudável.

O alerta é que um lanche inadequado: rico em alimentos industrializados, ricos em gorduras trans e gorduras saturadas (biscoitos recheados ou industrializados, salgadinhos, chips), embutidos (salame, presunto, mortadela, salsicha, linguiça), sucos de caixinha, prejudicam não só o desenvolvimento da criança, como o próprio desempenho escolar, e pode levar a obesidade, o aumento do colesterol e hipertensão.

O ideal sempre buscar ter na lancheira alimentos mais naturais, com mais fibras e mínimo de açúcar e de sódio. Evite incluir guloseimas como doces, bolinhos industrializados, achocolatados, ou prefira escolher apenas um dia na semana para que a criança opte por levar alguma guloseima que ela queira.

Para facilitar a montagem, escolha uma opção de cada grupo e monte o lanche escolar para cada dia:

Base = Alimentos para Energia:

(  ) Pão integral ou Pão comum

(  ) Biscoito de Arroz integral, ou Cookies integrais

(  ) Bisnaguinha integral

(  ) Muffin de Chocolate *ver receita abaixo

(  ) Pipoca

 Acompanhamento = Alimentos para o Crescimento

( ) Iogurte *colocar o iogurte no congelador um dia antes, se na escola não tiver geladeira

(  ) Patê de Frango desfiado com requeijão light

(  ) Pasta de Amendoim s/ açúcar

(  ) Queijo Branco

Bebida ou Frutas = Vitaminas e Minerais *Acondicionar bem o suco natural, de preferência uma garrafa térmica.

(  ) Água de coco

(  ) Suco de Uva integral

(  ) Suco de Maçã, Banana e Mamão

(  ) Suco de Laranja e Morango

(  ) 1 unidade de Fruta ou Frutas picadas – 1 xícara *para não escurecer as frutas adicione suco de laranja ou gotinhas de limão.

A quantidade a serem definidas dos alimentos irá depender da idade e da fase da criança e deve ser estipulada por nutricionista.

Muffins Saudáveis de Chocolate

Ingredientes

1/2 xícara de açúcar de coco

1/2 xícara de óleo de coco,

1/2 xícara de raspas de chocolate 70% de cacau

2 colheres de copa de cacau em pó

1 xícara de farinha de castanha de caju ou farinha de amêndoas

1/2 colher de sopa de bicarbonato de sódio

2 ovos batidos

1 xícara de abobrinha ralada

1 colher de sopa de baunilha

 

Modo de Preparo:

 

Preaquecer o fogão a 180ºC. Em uma panela pequena, derreta o chocolate e o óleo de coco. Rale as abobrinhas e esprema bem o líquido com a ajuda de um pano de prato. Em uma tigela, misture o cacau em pó, o açúcar de coco, a farinha, o bicarbonato de sódio, os ovos, a baunilha e a abobrinha. Mexa até que se forme uma massa homogênea. Distribua em formas de muffins e leve ao forno por 20 minutos.

 

Mariana Andrade

CRN9/ 5237

Nutricionista Funcional

Instagram: @nutrimariana

Site: https://nutricaofuncionalb.wixsite.com/nutrimariana

Clínica Médica Maison Blanc – Buritis

Tel:(31)3309-2007

 

Prevenindo a obesidade infantil; por Dra. Stephania Medina de Andrade Sócio

 

O peso das crianças é uma preocupação constante das famílias e dos pediatras.

Até alguns anos atrás, a maior preocupação era com a desnutrição. Atualmente, a obesidade é considerada uma doença crônica e epidêmica e estudos apontam que a incidência cresceu 60 % em 10 anos.

A obesidade é uma doença que acomete diversos sistemas do corpo e tem relação com doenças como diabetes, hipertensão, doenças articulares e cardiovasculares, câncer entre outras. Estudos apontam que a maioria dos adolescentes obesos serão adultos obesos.

Diante disso, a vigilância e a mudança de hábitos são fundamentais para mudarmos o curso das estatísticas para que nossas crianças sejam adultos saudáveis e com longevidade.

A grande mudança nos hábitos vem com boas escolhas e escolhas conscientes quanto ao que consumimos. A vida atribulada, a grande oferta de alimentos “práticos” nas prateleiras dos supermercados, as porções gigantescas dos fast food podem ser consideradas combinações explosivas.

Para ajudar nessas escolhas vou primeiro esclarecer uma dúvida muito frequente. Você já ouviu várias vezes esse termo ultraprocessado, mas você o reconhece no supermercado?

Então vou te dar uns exemplos e você vai exercitar na próxima ida às compras. Primeiro identificamos os alimentos in natura, que é todo aquele alimento que não sofreu qualquer mudança, pode ser encontrado na natureza (abacaxi). O alimento minimamente processado é aquele que sofreu pouca alteração até sua aquisição foi cortado, descascado, moído, etc (abacaxi descascado e embalado). O alimento processado é aquele que sofreu adição de sal e açúcar no processo (abacaxi em caldas). O alimento ultraprocessado é aquele cuja fabricação envolve diversas etapas e técnicas de processamento e vários ingredientes, muitos deles de uso exclusivamente industrial (suco de abacaxi em pó).

Algumas sugestões:

  • Os alimentos açucarados como os refrigerantes e os sucos de caixinha são uma cilada. Evite sempre que puder pois têm muito açúcar e conservantes. Opção: água, chá, sucos feitos com frutas (ex: morango, abacaxi, manga podem ser guardas congeladas e batidos na hora), água de coco (do próprio coco).
  • Os ultraprocessados são aqueles vilões capazes de nos enganar e nos fazer acreditar que estamos comendo bem. Evite !!! Com um pouco de organização podemos ter alimentos de ótima qualidade frescos na nossa mesa. As técnicas de congelamento são aliados nessa hora. Seguindo a máxima de quem guarda tem, a cada preparo podemos deixar porções congeladas para outro dia, legumes e verduras já cozidos e cortadinhos separados em saquinhos. Tudo congelado e em 10 minutos uma refeição fresquinha estará na sua mesa.
  • Informação: a leitura de rótulos nos permite identificar ingredientes que mais parecem retirados de uma aula de química do que da feira. Evite !!!
  • Divisão de tarefas: a divisão de tarefas faz com que todos da casa participem dos processos. As crianças podem colocar a mesa, lavas uns legumes e verduras. O maridão pode lavar a louça, enfim, moderno é isso, né?!
  • Vigilância : a vigilância do peso é feita com as consultas com seu pediatra e sempre lembrar que ele deve marcar nos gráficos de crescimento, altura e IMC (índice de massa corporal). Esses gráficos estão na caderneta de vacinação da criança e também pode ser encontrado no site da Organização mundial de saúde (OMS). O seu pediatra é capaz de identificar alterações no padrão de ganho de peso e crescimento e dar as orientações necessárias.
  • Atividade física: as crianças precisam se mexer. Correr, nadar, andar de bicicleta, sair das telas. O tempo preconizado pelas sociedades de pediatria é o máximo de 2 horas de tempo de tela por dia. A atividade física ajuda as crianças a terem menos ansiedade, fortalecerem, melhorar coordenação e gastar energia.

A mudança vem com um olhar para traz, isso, olhar para os nossos avós e voltarmos para a cozinha, para o prazer de sentarmos à mesa em família, sem celulares ou televisões.

Simplesmente conversar e curtir aquele momento. As crianças curtem muito essas experiências culinárias.

 

Dra. Stephania Medina de Andrade Sócio . Mãe de duas crianças gulosas, muito ativas e curiosas, com quem aprende todos os dias. Médica formada pela UFRJ, pediatra especialista em gastroenterologia pediátrica pela Unicamp e mestre pela UFMG.